Patos ameaçados de extinção nascem em cativeiro no Sul de MG

08/08/2011 00:05

Segundo instituto, é a primeira vez que o procedimento é feito com a espécie.
Últimos dados mostram que cerca de 250 animais vivem no Brasil.
 

 

Um laboratório de reprodução de aves de Poços de Caldas, na Região Sul de Minas Gerais, conseguiu realizar a eclosão de ovos de patos-mergulhões em cativeiro, de acordo com informações do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Segundo instituto, esta é a primeira vez no mundo que esta espécie se reproduz em cativeiro. Três animais nasceram, nesta quinta-feira (4), após mais de 30 horas de espera. O coordenador-geral de Espécies Ameaçadas do instituto, Ugo Vercillo, informou que, atualmente, o pato-mergulhão está em extinção e pode ser encontrado apenas no Brasil e na Argentina, sendo que no segundo país existem poucos relatos da presença dos animais.

O Brasil é o país em que existe maior incidência da espécie e, segundo relatório do Instituto Chico Mentes feito em 2000, cerca de 250 animais vivem no país. Para evitar a extinção da ave, considerada criticamente ameaçada, o órgão criou um plano de metas que prevê a preservação do habitat natural dos animais e a manutenção de algumas aves em cativeiro para facilitar o processo de reprodução.

Com o apoio e a autorização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), cinco ovos que foram encontrados na Serra do Canastra, na Região Centro Oeste de Minas Gerais. foram enviados ao laboratório. O cativeiro em Poços de Caldas foi escolhido especialmente para o procedimento, segundo Ugo Vercillo, pois já teve sucesso em experimentos semelhantes com ovos de outras espécies.

Para que os ovos pudessem eclodir, eles foram mantidos em uma incubadora, em que a temperatura e umidade eram controladas pelos funcionários do laboratório. Durante todo o processo, um veterinário acompanhou o desenvolvimento da experiência. O momento do nascimento é demorado e pode levar horas até que os filhotes quebrem a proteção que os envolvem. As etapas de eclosão incluem a realização regular de um ultrassom, chamado de ovoscopia.

Os animais vão ser mantidos em cativeiro durante o desenvolvimento para que os funcionários possam observar as características da espécie. Para Vercillo, é importante conhecer as peculiaridades da espécie para auxiliar na preservação dela. Por serem animais em extinção, a observação das aves é uma tarefa difícil, segundo Vercillo. Em cativeiro, os animais vão poder se desenvolver sem o risco causado pelos predadores e alterações realizadas no ambiente.

Pato-mergulhão
O pato-mergulhão é uma espécie natural da América do Sul e tem como principais características, a alimentação restrita aos peixes e a monogamia, os animais vivem com um único companheiro por toda a vida. De acordo com o coordenador Ugo Vercillo, as aves, que têm entre 40 e 50 centímetros, vivem em duplas, como casais, e não em grupos como outras espécies.

Os animais podem ser reconhecidos pelo bico longo e fino, penas atrás da cabeça e pés vermelhos. As aves têm por habitat natural locais com corredeiras e fluxos de água, para facilitar a alimentação. Segundo Vercillo, a principal ameaça sofrida pela espécie e a alteração do ambiente em que vivem para a prática da pecuária e a construção de hidroelétricas, pois são muitos sensíveis a esse tipo de alteração.

As aves podem ser encontradas em áreas de conservação em vários estados brasileiros, como Parque Estadual do Jalapão (TO), o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (GO) e da Serra da Canastra, em Minas Gerais

 

 

Fonte: http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/2011/08/patos-ameacados-de-extincao-nascem-em-cativeiro-no-sul-de-mg.html